Meio Ambiente: Medidas adotadas na Europa poderiam despoluir o Rio Iguaçu se houvesse interesse político

Medidas de conscientização semelhantes as que foram realizadas na Europa onde inciativas público-privadas despoluiram importantes rios como o Sena na França, Tâmisa na Inglaterra, Tejo em Portugal e muitos outros, poderiam ser adotadas em rios brasileiros, como o imponente Tietê em São Paulo, e o Iguaçu no Paraná - o maior Rio do Estado.
Levantamentos apontam que o maior foco de poluição está na Capital Curitiba. Porém, idealistas e protetores do meio ambiente ou até mesmo formadores de opinião, apontam que a solução adotada na Europa e em outros lugares do mundo, pode ser realizada no Brasil e em especial, se tratando do Paraná, no Rio Iguaçu.
Com 1300 quilômetros de extensão o Iguaçu passa por 113 municípios e sua nascente é localizada em Curitiba, local onde ele mais sofre agressão por conta da poluição.
Em 2017 foi instituido um projeto de despoluição do rio, mas já duram três anos e a situação tem sido a mesma.
O ex vereador de Curitiba Denílsom Pires (2008/2012) aponta que no caso do Iguaçu, não basta o projeto, e sim a vontade, pois recursos são possíveis captar e os resultados são visíveis e vão dar sustentabilidade às futuras gerações. Além disso ele aponta que entre o trabalho de despoluição, são necessários dois pilares - consciência da população e um movimento habitacional retirando famílias que residem às margens do Rio no alto Iguaçu, na região sul curitibana. "O projeto é peduliar e com o objetivo de limpar, despoluir e ver um rio voltar a vida no seu lugar onde nasce, mas é necessário mais vontade política e projetos que em primeiro plano não sejam eleitoreiros. Isso sim é preciso mudar, e por outro lado é necessário um trabalho em conjunto com o Governo do Estado, União e Municipio no relocamente imediato das famílias que residem às margens do Rio. Com toda certeza esta medida iria diminuir a popluição e já em paralelo a isso, utilizar os modelos adotados nos rios da Europa, onde equipamentos varrem o leito, retiram o lixo e o trituram para servirem de matéria prima para outros fins", explica Denílson.
Outras fontes de defesa da meio ambiente como ong`s e associações também estão na luta para emplacarem de vez junto ao Governo do Estado medidas que realmente aconteçam e não fiquem no papel ou no discurso político apenas.