VT.png

Cortejo silencioso e comoção de amigos marcam a despedida de Alencar em Engenheiro Beltrão

Foto: Rede Social

Aquela voz que em momentos de luto trazia a notícia do falecimento de alguém em Engenheiro Beltrão, hoje foi a notícia.
José de Alencar Amaral faleceu nesta segunda-feira (30), vítima de sequelas da COVID-19 aos 72 anos.
Alencar, como era chamado, era o responsável por gravar as notas de falecimento no município, além de fazer propaganda volante e ser um ícone político na cidade.
Participou do último pleito apoiando o prefeito eleito Júnior Garbim, mas nem se quer teve a oportunidade de saber o resultado das Eleições, pois já estava internado na Unidade de Terapia Intensiva - UTI em Cianorte, há 45 km de Eng. Beltrão. 
Casado, pai e amigo de todos, deixa um legado de amizades marcado com sua chegada no município há mais de 30 anos, quando ainda acompanha um circo e que ao conhecer Eng. Beltrão fez sua cidade residente.
Um cortejo silencioso com dezenas de veiculos recepcionou o corpo na chegada da cidade, passou em frente a sua casa no Conjunto Castelo Branco e se dirigiu ao cemitério.
Mermo que o momento fosse de isolamento, o seu carisma foi mais forte e muitos amigos foram ao cemitério dar o último adeus. 
Alencar chegou na cidade em 1986, completou 72 anos no dia 7 de março, era casado com Clotides , deixa um casal de gêmeos - Ricardo e Ricarda, e junto com o amigo e sobrinho Cesar Vanderlei Pereira idealizou e foi sócio da mais badalada lanchonete dos anos 80 e 90, a famosa Ursão.
Beltraoenses de todas as idades prestaram sua homenagem em redes sociais e condolências à família.

O portal, jornal e revista Expressão Paraná solidariza com a família a perca de um ícone na comunicação Beltraoense.